Páginas

3 de set de 2010

O Universo é Som

" À música cabe transmitir verdades
eternas e influir no caráter do homem
visando torná-lo melhor."
David Tane

Todas as formas são frequências SONORAS
Temos mostrado que todas as coisas existentes no universo estão interligadas em um dos níveis de uma seqüência denominada "Seqüência Sétupla". Nisto consiste o principal elo da unificação das diversas formas de existência.

A filosofia dualística tem feito um grande mal ao ser humano no tocante ao seu desenvolvimento espiritual, pois o individualiza e sem dúvida alguma a individualização plena determina a predominância egóica que tantos males gera. O pensamento dualístico condiciona o egoísmo, pois faz com que a pessoa deixe de se sentir parte integrante de todas as outras.
A pessoa analisa-se assim: Eu sou eu, pois sou separado desde que tenho vontade própria, tenho sensações próprias, tenho um corpo que não está ligado a qualquer outro, e assim por diante. Mas isto nada mais é que uma decorrência das limitações perceptivas. Como exemplo podemos citar que não se pode avaliar uma floresta por uma só árvore. O mesmo pode ser dito com relação aos seres em geral e o homem em particular. No exemplo da floresta a unidade de cada arvore existe, mas ela não é de forma absoluta. Se a árvore tivesse discernimento humano ela julgar-se-ía independente, não aceitaria ser parte de um algo maior, a floresta. Naturalmente uma árvore não está totalmente integrada a um sistema maior que é a floresta e sim parcialmente, mas isto não faz com que cada uma possa ser considerada como algo independente. Assim também o ser pode humano poder ser visto como entidade isolada, mas apenas até um certo nível, além do qual trata-se de um todo uno.

Já afirmamos em temas iniciais que tudo quanto há resulta da vibração de um "meio básico" que chamamos de MA e cuja manifestação no mundo inerente se expressa como Fohat.

Na verdade a vibração é uma condição que se faz presente em quase tudo o que existe no universo imanente constituindo todas as coisas que há. A vibração não somente constitui quanto integra as mais diversas formas de existência. Trata-se de algo único por isto é que existe o efeito de ressonância. Qualquer alteração na vibração de uma estrutura se faz presente em toda criação desde que o universo é uno. Naturalmente nisto tem que ser considerado o grau de intensidade da ressonância, mas podemos dizer que embora a ressonância vá atenuando-se na medida em que o evento vai se afastando na escala vibratória mesmo assim a ressonância nunca atinge o nível zero.

Agora queremos chamar a atenção para o seguinte: Sempre que existe uma vibração ela não pode ser considerada como principio isolado, outros princípios se fazem presentes, especialmente movimento e ritmo. A fim de que isto possa ser devidamente compreendido devemos ter em mente que existe uma certa diferença entre vibração e movimento. Basicamente vibração geralmente está condicionada a um certo ritmo, mas devemos salientar que o movimento pode ou não ser rítmico[1]. Por isso o Hermetismo faz distinções e considera separadamente o movimento e vibração.

Dentro do mundo imanente toda vibração pode ser considerada como sendo movimento, mas a recíproca não e verdadeira, nem todo movimento pode ser considerado vibração.

Agora vamos definir o que vem a ser um som. Podemos dizer que som é a percepção sensorial do movimento, da vibração. Sem dúvida alguma onde há movimento há som e como no universo imanente nada está parado, portanto som está sempre presente em tudo. Se ele não é percebido é uma decorrência da falta da acuidade sensorial resultante da carência de um aparelho ou órgão capaz de detetá-lo além ou aquém de determinados limites.
AUM
A criação teve inicio com a vibração, com o movimento, consequentemente com um som. Esse som é mencionado por inúmeras organizações. Os orientais o associam ao

Tudo é OM, a variação da frequência vibratória é o que diferencia uma coisa da outra, assim sendo podemos dizer que qualquer modificação do som eqüivale a alguma alteração nas coisas.

Tudo quanto há, em menor ou em maior grau, depende da vibração, portanto depende do som. Na realidade não é do som, pois som é um efeito do movimento - vibração. Sendo assim melhor se dizer que som depende da vibração.
A vibração Cósmica é a origem e a base de toda a matéria e energia existente no universo e o OM é a forma mais primordial, mais pura e menos diferenciada do som cósmico, fruto do primeiro movimento universal. Como analogia podemos dizer que o som OM assemelha-se ao arco Íris que é um desdobramento cromático emergente de um raio branco, uma apresentação em diversas cores. O raio aparentemente é incolor, mas encerra todas as cores emergentes. O mesmo se pode dizer do som OM, ele é um só que se diferencia num incomensurável número de manifestação sonoras.

O som primordial desdobra-se em tons e de diferentes freqüências e assim sendo se pode dizer que o som cósmico está presente em diferentes combinações por todo o universo. Está presente em todas as substâncias e formas, em distintas combinações vibratórias e ao mesmo tempo constitui as próprias substâncias e formas. Segundo a combinação dos tons cósmicos presentes em determinada área de espaço surge a natureza da substância naquele determinado espaço.

O universo pode ser comparado com uma caixa de ressonância. Pode-se dizer que o universo é um imenso oceano de ruídos, de sons, e sem dúvida alguma todos os seres estão ressoando mutuamente. A ressonância de um som é mais intensa naquilo que estiver mais próximo da origem desse som. As leis físicas inerentes à música mostram isto claramente. Um som qualquer tem respostas ressonante características em determinadas coisas; as estruturas ressoam em menor ou em maior intensidade segundo certos princípios, de forma harmoniosa ou não. Isto é importante, pois como decorrência resultam estados negativos ou positivos.

********************

Autor: José Laércio do Egito - F.R.C.